Ficção (d)e Guerra

De Wiki Petercast
Ir para: navegação, pesquisa

Infelizmente meu projeto não teve a chance de ser posto em prática por falta de tempo em sala de aula em detrimento do conteúdo programado para o semestre. A ideia seria Implementar a discussão de ficções de guerra em aula de Inglês como segunda língua (ESL), juntando ensino de língua, literatura, discussões sociologia e história. O projeto foi pensado para uma turma de nível intermediário a avançado de Inglês, mas pode ser adaptado para estudantes de outras línguas e turmas de literatura ou história na escola regular, entre outras. A adaptação dependeria da escolha de outras obras que trouxessem discussão semelhante porém em outra língua.

Dividi a discussão em três momentos, que seriam antes, durante e depois da leitura de poemas selecionados.

Antes[editar]

Apresentar a discussão sobre ficção inicialmente com as perguntas:

  1. O que é ficção?
  2. O que é literatura?
  3. O que é história?

Cada estudante escreveria suas respostas individualmente e depois a turma seria dividida em grupos de 4 a 5 estudantes (caso a turma tenha muitxs alunx) ou um círculo como todxs. A partir das ideias postas no papel a turma discutiria os conceitos de literatura, ficção e história, verificando semelhanças e diferenças de perspectiva. O papel dx professorx seria mediar essa conversa, permitindo que haja uma interação minimamente organizada e que permita que todxs expressem suas opiniões sobre os assuntos abordados. Após essa discussão, os conceitos discutidos provavelmente já estarão complicados pelas diferentes observações dxs alunxs; caso isso não ocorra deve haver por parte dx professorx questionamentos que o façam. A partir disso, apresentar os poemas escolhidos.

Durante[editar]

Apresentar os poetas de guerra e poemas selecionados

Rupert Brooke (1887-1915): Peace; The Dead; The Soldier

Siegfried Sassoon (1886-1967): They; The Hero; The General

Edward Thomas (1878-1917): In Memoriam (Easter 1915); The Cherry Trees; Rain

Juntar estudantes em duplas ou trios para discutir o que compreenderam dos poemas; tirar eventuais dúvidas sobre vocabulário. Discutir temas: morte, desencanto com a guerra, promessas de glória, identidade nacional, juventude, Estado, medo, ficção/realidade.

Depois[editar]

Após a leitura e breve discussão dos temas, a complicação dos conceitos de literatura, ficção e história deve estar bem mais complexa que no início da aula. A atividade pós leitura requereria uma pesquisa por parte dxs estudantxs, que pode se estender por mais uma aula como tarefa de casa. A ideia seria trazer mais exemplos de obras "baseadas em eventos reais" (filmes, séries, romances, contos, mais poemas) e apresentar a/os demais estudantes seu plot para em seguida discutir os aspectos temáticos abordados em sala. Fazer conexões com os poemas lidos em aula.

Essa atividade pode ser utilizada como uma forma de avaliação oral e/ou seminário temático.

Comentários[editar]

Peterson[editar]

Uau, ok - questões bem amplas discutidas aqui! Gostei bastante do projeto, e a questão sobre o que separa ficção da "realidade" (como queremos que a história represente) é amplíssima. Fiquei pensando em algumas questões sobre o projeto e algumas adições:

  • Eu entendi que os poemas deveriam complexificar a relação entre ficção / realidade e história, tanto teórica quanto na prática (como pensar em termos ficcionais ajuda a entender a realidade, ou o que (que realidade) motivou os poetas a escrever as ficções que escreveram), mas existem trechos específicos ou questões específicas dos poemas importantes para mover essa discussão pra um lado ou pra outro? Como eu não os conheço, fiquei curioso nesse sentido :)
  • Por se tratar de um projeto mais ligado à área de línguas, entendo que o projeto tem o formato "discussão sobre ideias" -> ficção -> "discussão sobre ideias", mas ficou faltando, acho, algum input sociológico / filosófico. Por exemplo, na primeira discussão acho que poderiam ser apresentadas perspectivas concorrentes sobre a ligação entre realidade e ficção. Há tantos autores envolvidos nisso que nem sei o que recomendar, haeheahaeea - mas fico pensando se um Feyerabend (e seus críticos) não cairia bem... Mas ele é muito das ciências da natureza, talvez alguém mais da área da filosofia da história, ou da teoria literária. Veja, aqui não seria tanto uma questão de explicá-los a fundo (os autores ou essas visões filosóficas), já que o objetivo é chamar atenção para a ficção. E eu acho que eles poderiam fazer isso ao introduzir um debate sobre a ligação entre história e ficção para enquadrar a forma como a ficção é lida. Não pra substituir a discussão inicial --- mas de repente, em vez de os alunos pensarem as 3 perguntas "no vácuo", fazer com que eles comentem algum pequeno texto sobre essas ideias... Algo didático, um tira-gosto, uma provocação. Aliás, seria interessante também dar textos diferentes pra grupos diferentes. Tendo ensinado ESL sei que é legal fazer eles falarem, então um grupo tendo que explicar para outro o que leu é mais uma oportunidade pra isso =P
  • Fiquei imaginando que de algum modo isso não podia se ligar também à questão das "fake news".
  • Tem um vídeo excelente do Folding Ideas falando sobre aquele filme de propaganda nazista. Recomendo, ou como introdução, ou como fecho, ou como comparação em relação aos poemas, não sei... Ele é um pouco grande, esse é o único problema. Mas é muito interessante e tem muito a ver com o projeto: https://www.youtube.com/watch?v=jJ1Qm1Z_D7w&list=FLn-1AL2OeLEOMseDiUZAAcQ

Mas é isso! Só o que eu recomendaria seria a especificação um pouco maior de quais elementos dos poemas são interessantes para a discussão e, talvez, como um bônus, uma conexão maior com teoria filosófica ou sociológica que possa balizar um pouco mais a discussão. Não se trata nem tanto de limitá-la; é que às vezes, com perguntas muito amplas, as respostas costumam ser genéricas e pouco informativas. Quando você coloca uma ideia, ou frase, etc à qual os alunos têm que responder, com a qual têm que interagir, isso fornece um guia pra atividade que pode ser bastante produtivo!